Febre Amarela – Alerta

FEBRE AMARELA – ALERTA

Considerando a campanha de vacinação contra a febre amarela;

Considerando que a nossa base fica situada na cidade de Mairiporã (área em alerta com registro de óbitos de macacos) e área com recomendação da vacinação;

Considerando o aumento do número de parques fechados pelos órgãos públicos em São Paulo;

Considerando que a Secretaria Estadual da Saúde pretende vacinar todo o estado de forma gradativa;

Considerando que no estado de São Paulo, de janeiro a novembro de 2017, foram confirmados 52 casos de febre amarela e dez deles resultaram em óbito. (segundo boletim da Secretaria de Saúde, mais de 55% das pessoas infectadas contraíram a doença, provavelmente, em viagens ao estado de Minas Gerais)

Considerando que foi oficializada a morte de dois homens que estiveram em Mairiporã nas festas de final de ano;

Considerando que a melhor forma de prevenção é a vacinação;

Di Brasil Adventure orienta o seguinte:

– se você mora nas regiões ditas de risco, vacine-se.

– se você vai participar de eventos ou atividades em áreas ditas de risco vacine-se.

– se você vai participar das nossas atividades em Mairiporã e região, vacine-se.

 

A Febre Amarela é uma doença infecciosa viral transmitida por picada de mosquitos infectados pertencentes às espécies Aedes e Haemagogus.

Uma pessoa não transmite a doença diretamente para outra; o macaco também não transmite a doença. É imprescindível a presença de mosquitos infectados agindo como vetores para que haja transmissão.

Existem dois ciclos de transmissão da doença.

O silvestre ocorre quando a doença é transmitida pela picada dos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes. Nesse ciclo os principais hospedeiros são os primatas não humanos (macacos) que habitam as florestas tropicais.  Seres humanos podem adquirir o vírus esporadicamente quando residem ou adentram na mata para trabalho ou turismo e são picados por um mosquito silvestre infectado.

O urbano ocorre quando a transmissão se dá pela picada do Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue, zika e chikungunya.

Na transmissão urbana da febre amarela, a prevenção deve ser feita evitando-se a disseminação do Aedes aegypti. Os mosquitos se reproduzem em água limpa e se proliferam dentro dos domicílios e suas adjacências. Qualquer recipiente com água limpa e parada, como caixas d’água, latas e pneus, são ambientes ideais para que a fêmea do mosquito deposite seus ovos. Portanto, deve-se evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados.

A febre amarela pode ser prevenida por uma vacina extremamente eficaz, segura e acessível, que produz imunidade em 99% das pessoas vacinadas. Segundos as diretrizes da OMS, uma dose única da vacina é suficiente para conferir imunidade sustentada e proteção ao longo da vida. O Sistema Único de Saúde oferece a vacina contra febre amarela gratuitamente para a população. Procure uma unidade básica de saúde, informe-se e previna-se.

A vacina deve ser aplicada no mínimo 10 dias antes da viagem, sobretudo para quem se dirige a regiões silvestres, rurais ou de mata (nós, da Di Brasil Adventure, recomendamos a vacinação para quem pratica atividades esportivas em contato com a natureza). É indicada a partir dos nove meses de idade, com a administração de dose de reforço aos quatro anos. A vacina é contraindicada para gestantes e para mulheres amamentando crianças até seis meses de idade. A aplicação deverá ser avaliada por médicos para pessoas com 60 anos ou mais e pacientes com imunodeficiência ou outras patologias.

A contraindicação é para pessoas com imunodepressão, câncer, gestantes, pessoas com alergia aguda a ovo, entre outras. Recomenda-se buscar orientação em centros de referência antes de tomar a dose.

Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo.

Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela.