Cuidado com a tecnologia

As crianças possuem muita facilidade em lidar com os equipamentos eletrônicos e tecnológicos.

Em qualquer lugar você encontra uma criança “passando seu dedinho” num smartphone ou num tablet, choram para conseguir ter nas mãos o celular da mamãe ou do papai.

Se deixar, ficam horas entretidos com a tecnologia!

Mas cuidado! Por trás dessa aparente tranquilidade e “tempo de sossego para os pais” há muitos problemas que podem ser desencadeados. Acessos a conteúdos impróprios, por exemplo.

A Academia Americana de Pediatria diz que crianças menores de três anos deverão interagir estritamente com aplicativos educativos, e por menos de 20 minutos diários; já as crianças maiores poderão utilizar mais recursos e programas, mas jamais por mais de duas horas por dia.

As atividades tecnológicas da criança, portanto, devem vir combinadas com a prática habitual de esportes.

Se a tecnologia pode ser um bom simulador e ajudar a desenvolver o raciocínio e o foco, por exemplo, através de um jogo eletrônico, um jogo de futebol ou a prática do Slackline também, sendo que estes dois últimos proporcionam o gasto calórico, incremento da musculatura e da capacidade cardiorrespiratória, prevenção de diversas doenças e da obesidade.

Ressaltamos, ainda, que num jogo eletrônico, a criança está muitas vezes sozinha, já na prática esportiva, acontece o convívio, a solidariedade, o companheirismo e a criança precisa de interação social real.

Sedentarismo pode desencadear a depressão e criança precisa trabalhar o corpo e a mente.

Conheça o Slackline For All no nosso site http://dibrasiladventure.com.br/slackline-for-all-di-brasil-adventure/ e saiba mais sobre o equipamento inovador que trabalha o equilíbrio, a concentração, a superação dos limites, a consciência corporal e pode ser utilizado por toda a família. É diversão para o neto e para o vovô, num trabalho de corpo e de mente.